Google+ Canal Brasília: Maio 2012

28 de maio de 2012

A TV que sabia demais...

Por Arisson O Grande

Foto da internet
A afirmação veio de uma feira de eletrônica de consumo em Las Vegas: "Adeus, caixa burra. Olá, TV inteligente". A tendência tecnológica do momento é um novo sistema de televisão ligado à internet, pelo menos essa é a aposta dos fabricantes do aparelho. Vários projetos foram apresentados na feira e não me limitei a apenas ver as novidades. Pensei logo no avanço futuro e nas possíveis novas funções televisivas.

Imaginem-se sentados em um sofá de frente para aquela janela mágica chamada TV inteligente. O nome define bem a principal função do aparelho, não a subestime. Você pega o controle e ela liga sozinha, sem te dar tempo sequer de estender o braço:
- Olá. Bom dia, senhor.

Você não responde, afinal, odeia aquela voz eletrônica. Te lembra aquele maldito atendimento por telefone:

- O nosso sistema de sensores detectaram que o seu semblante e batimento cardíaco demonstram desânimo. Vamos colocar em um programa animado que pertença a sua classificação indicativa.

Você dá um sorriso discreto. A televisão acertou em cheio. Na tela, imagens daquele filme que você nem sabia que existia, do tipo que você começa a assistir e quer ver o final, mas nem sabe o nome. É hora dos comerciais e você se levanta:

-Atenção, senhor. O tempo do comercial dessa emissora é de apenas cinco minutos. No caso de fazer a opção de número dois no banheiro, informamos que talvez o tempo não seja o necessário e possivelmente o senhor perderá o início do bloco.

Você ignora o alerta e corre para o banheiro para provar que o sistema humano é uma obra que funciona de maneira perfeita e nas horas indesejadas. Ao voltar, você percebe um cara diferente no filme:

-Uai! De onde saiu esse homem?

Uma pergunta de duplo sentido, mas sua TV é inteligente e percebe o verdadeiro conceito desejado:

-Ele é o irmão da protagonista, senhor.

A voz eletrônica te transmite um resumo do início do bloco e você percebe que muita coisa aconteceu nos minutos bem utilizados no banheiro:

-Ele tem cinco minutos para desarmar uma bomba? Mas ele não é só um taxista? Isso é possível?

Essa é uma dúvida minha de décadas. Será que qualquer civil consegue desarmar uma bomba em cinco minutos? Já é difícil fazer o número dois com um cronômetro te pressionando. Não sei o que fazer quando uma pessoa tem um ataque epiléptico na minha frente, mas sei que para desarmar uma bomba basta escolher entre cortar o fio azul ou o vermelho:

-Corta logo os dois! - Você grita ansioso.

A contagem regressiva já abandonou os algarismos decimais e o taxista continua em dúvida de que fio cortar:

-Você vai morrer. Corte logo.
-Não senhor, ele não vai morrer - Interrompe a voz eletrônica.

Nós sabemos que milhares de personagens morrem em filmes de Hollywood, menos o protagonista. Em filme de ação figurante tem cerca de cinco minutos de vida ou o tempo de uma troca de cartucho de balas. É óbvio que ele não vai morrer, mas é bom sentir a adrenalina da dúvida:

-Droga! Você me contou o final do filme.
-Não, senhor. Só disse que ele não vai morrer.
-E que graça tem assistir um filme já sabendo disso. Não quero mais ver. Coloque em um programa de televisão inteligente.

Nessa hora a imagem trava e o sistema dá pane. Você não tinha pago a assinatura do canal a cabo e na busca por um programa inteligente o sistema se conectou automaticamente à internet. Na tela apareceu a janela do Google com a frase: "Você quis dizer: programa de televisão".

21 de maio de 2012

Humor de Segunda

Por Leandro Lisbôa

Segunda-feira, dia em que todo mundo se despede do fim de semana. Logo bate aquela tristeza de ter que pegar no batente, a preguiça habitual do dia, a falta de vontade para fazer as coisas. Para muita gente, a segunda-feira é motivo de tristeza, depressão e até de desespero (Risos).

Bom, pensando em uma forma de melhorar, ou ao menos, amenizar isso, nós do blog Canal Brasília estamos pensando em uma forma de trazer humor para esse dia da semana que parece ser tão torturante. Firmamos uma parceria com ninguém menos que... (Tchan, tchan, tchan, tchan)... Não, não é com o É o Tchan... A parceria é com Arisson O Grande.

Esse rapaz aí, com pinta de Insano é escritor, jornalista, estagiário, gerente (do blog www.evolucaodecrescente.blogspot.com),   pintor, padeiro, ciclista, pai, mãe, tia, avó... É, ele também é ator... Enfim, a proposta do projeto Humor de Segunda é trazer, toda segunda-feira, um texto, e em breve, podcasts para animar o seu dia.

Texto segue abaixo. Esperamos que gostem.


Por Arisson O Grande

This is evolution, Baby!

Há anos, se alguém falasse sobre GPS eu riria dizendo: "Um aparelho que me leva ao meu destino e fala aonde devo virar? Você está vendo Jornada nas Estrelas demais". Hoje esse aparelho já faz parte do cotidiano do motorista. A tecnologia não pára e é cada vez mais difícil e caro acompanhá-la. Você compra o melhor celular e no dia seguinte ele já está ultrapassado. O atual tecnicamente já é fora de moda em outro país. A fita cassete virou peça de museu e o museu virou galeria que todos encontram facilmente no Google. 

O Severino sofreu com os avanços tecnológicos e se deu por vencido. Após dias ouvindo seus netos dizendo para ele fazer um Facebook, finalmente cedeu:

-Vô, você tem que criar um email - Explicou o neto.
-Já não basta ter criado o seu pai e as duas irmãs dele? Já estou aposentado, não crio mais ninguém. Nem um, nem meio.
-Não, vô. Estou falando de criar uma conta.
-Ah. Isso eu já tenho, menino. Como você acha que recebo minha aposentadoria?
-Pôh, vô! Qualé! Não é essa conta. É a conta de internet mesmo. Vou criar uma aqui... Pronto criei.
-Já criou a tal conta?
-Sim.
-Nossa. E como faço agora pra fazer o Fez o Buque lá?
-É Facebook, vô... Hum... Só mais um pouco... Já fiz.
-Já fez? 
-Já sim.
-Viu? É por causa dessa complicação toda que não queria criar o tal Facebook.
-Larga de ser ranzinza, vô... Vai. Senta aqui. Compartilha o que você está sentindo.
-Como é que é?
-Escreve aqui o que você está sentindo.
-Mas menino! Essa tecnologia quer saber até o que sinto? Até parece. Oxente! Tenho mais o que fazer do que dizer para o computador o que sinto.
-Vô! Volta aqui! O Zé do boteco ali da esquina quer ser seu amigo. Vou aceitar hein. Ei, vô. Ele te cutucou, pode cutucar ele de volta.
-Vai estudar, moleque! - Gritou o velho do outro cômodo da casa.

19 de maio de 2012

Confira o roteiro de diversão do fim de semana

Por Andressa de Oliveira

Confira o roteiro com os eventos para este sábado, 19 de maio.

Esta semana, festas para todos os gostos e estilos. Tem muita coisa de graça também. Não perca.

Samba Capital Ousadia e Alegria
Vem aí Samba Capital Ousadia e Alegria, com Thiaguinho, lançando carreira solo, e a banda Jeito Moleque tocando os maiores sucessos da carreira, em dois super shows. 
Horário: 22h
Local: AABB, Setor de Clubes Sul – Brasília
Valor: Área Vip R$ 40
Camarote Open Bar Mulheres R$70 / Homens R$80 (Open Bar: Vodca, Cerveja, Ice, Citrus, Água e Refrigerante)
___



Calourada UnB 2012
No semestre em que a UnB faz 50 anos, a comemoração merece abordar tudo aquilo que faz do espaço universitário um local de inovação, criatividade e experiências múltiplas. Com apresentações da Banda Uó (SP), Bloco Do Sargento Pimenta (RJ) e tpo DJs das festas da Capital.
Horário: 20h
Local: Centro Comunitário da UnB - Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte
Valor: R$ 20, antecipados

Noite Samba Rock
O melhor do samba rock sobe ao palco do Emma, com as bandas Salve Jorge e Quintas de Fevereiro. Dose dupla de Caipirinha até 1h.
Horário: 22h
Local: Espaço EMMA - Liberty Mall, Setor Comercial Norte
Valor: Não informado

Makossa Baile Black
A segunda edição do ano da Festa Makossa vai acontecer no tradicional espaço Floresta. Com duas pistas de dança e muito hip hop, decoração exclusiva, estrutura de primeira, reforço na segurança da área externa e interna da festa.
Pista Soul Makossa; Jeff Bass (Clash Club – Sp); Dj A; Donna; Jamaika; Pista ; Old School 100% Vinil; Chokolaty; Rcd; Beetles e Tdz.
Local: Espaço Floresta – Galeria dos Estados - Setor Comercial Sul
Horário: 22h
Valor: Antecipado R$ 20 / Na Hora R$ 25 até 0h após R$ 30

Festa Junina da Paróquia Nossa Senhora do Lago
Além das tradicionais barracas de churrasquinho, tapioca, yakisoba, churros, pescaria e caixa surpresa, este ano haverá atrações inéditas. Para animar a festa. Participação da bicampeã regional de quadrilhas, a Quadrilha Triscou Queimou e da banda Forró com Site.
Local: Paróquia Nossa Senhora do Lago - QI 3 Lago Norte
Horário: 18h até 1h
Valor: Entrada Franca 

Samba Pra Gente e Cassiana Pérola Negra
Show do grupo Samba Pra Gente & Cassiana Pérola Negra, filha da saudosa sambista Jovelina Pérola Negra. Participação especial dos grupos Raça Popular, Luz do Samba e Samba em Família. 
Horário: 21h
Local: ASBAC - Setor de Clubes Sul
Valor: Antecipado R$ 20 / Na Hora R$ 30

Sábado Mix Brazucas
Sábado Mix traz Rick Azevedo tocando o melhor do sertanejo universitário e convidados mais DJs. 
Horário: 22h
Local: Brazucas Sport Bar - Av. Castanheiras, Águas Claras 
Valor: Mulheres free até 23h após R$ 30 / Homens R$60

Sabadão Vip
Sabadão Vip com Felipe & Ricardo, Luiz Henrique & Montenegro e George Henrique & Rodrigo + DJ Dudu animando a noite com muito sertanejo.
Horário: 22h
Local: Villa Boêmia - Pistão Sul, Taguatinga
Valor: Mulheres free/ Homens R$15

Festivais: Contos e Cantos
Intérpretes e músicos da Capital apresentam o espetáculo "Festivais: Contos e Cantos", pelo projeto "Meu Caro Amigo Chico Buarque". O eclético e refinado repertório, impecavelmente interpretado, faz um convite para que o público se envolva na atmosfera contagiante dos anos 60.
Horário: 21h
Local: Clube do Choro de Brasília
Valor: R$10 Meia/ R$ 20 Inteira

Vila do Choro
Roda de choro com os músicos Bruno Patrício, Fernando César, Pedro Vasconcellos e Valerinho Xavier. 
Horário: 13h
Local: Restaurante Vila Madá - Shopping Deck Norte
Horário: Entrada Franca sem couvert artístico

Balada Federal
Balada Federal com Mitiê do Brasil, junto com DJ's Felipe Veras e Elektro e som automotivo em dois ambientes. 
Horário: 22h
Local: Sanfona de Ouro - Pistão Sul, Taguatinga
Valor: Mulheres R$10/ Masculino R$20
Open Bar R$ 60

Caribeño Sertanejo
O melhor do sertanejo às margens do Lago Paranoá, com decoração temática e grandes atrações, como Adan Arcanjo (Sertanejo universitário), DJ Lúcio Balla (House), DJ Marcinho (Sertanejo universitário), DJ Kacá (Funk Rio) e DJ Felipe Souza. 
Horário: 22h
Local: Caribeño - Setor de Clubes Sul
Valor: Mulheres R$ 20/ Homens R$30 com nome na lista até 22h (nomes para a lista sabado@caribeno.com.br)

Faluja
Faluja é a mais nova sensação do pop rock brasileiro e estreou como marca forte. Com nome inspirado em uma cidade do Iraque, que é símbolo de luta, perseverança e resistência, a banda começa uma trajetória voltada para o sucesso. Discotecagem com DJ Marcinho Grande Brother.
Horário: 23h
Local: O'Rilley Pub - 409 Sul
Valor: Mulheres R$15/ Homens R$25

Felipe Venâncio
Depois de uma apresentação memorável em sua estreia na Kiss & Fly Brasília, Felipe Venâncio está de volta em uma das casas mais badaladas da capital. Tocando muita música eletrônica, seu line up é para quem quer se divertir muito.
Horário: 23h
Local: Kiss N' Fly - Clube ASSTJ, Setor de Clubes Sul
Valor: Mulheres R$30/ Homens R$ 60 revestidos em consumação. 

Flashback Espaço Flamingo
Flashback com os DJs Hool e Dexter, tocando os grandes hits dos anos 80 e 90.
Horário: 22h
Local: Espaço Flamingo - BR 020, Subida do Colorado
Valor: Entrada Franca

Sábado Planeta Country
Planeta Country apresenta show com as duplas Heverton & Heverson e Marcos & Gustavo, com o melhor da música sertaneja.
Horário: 22h
Local: Planeta Country, próximo ao balão do Riacho Fundo I
Valor: Mulheres R$20/ Homens R$30

Balada Universitária
Show com Bonni & Belluco e Rodrigo Reis, tocando muito sertanejo. 
Horário: 22h
Local: Estância Universitária - Pistão Sul
Valor: Mulheres free/ Homens R$ 25


4 de maio de 2012

Crônica: Visões da nova Era

Por Douglas de Almeida

Foto da internet
Os sonhos são realidades irreais e previsões do que está oculto e virá à tona quando de fato acontecer. A verdade é única e não se ensoberbece, ela apenas traz o que ninguém quer e que tanto incomoda. Eu, que durante a vida, tive sonhos tão reais que os senti na pele e os vivi na carne. Vi e vivi tantas coisas que nada pode ser uma surpresa ou desfazer a diferença que um dia já fizeram tais coisas.

Em algum tempo turvo eu sonhava com línguas que não podiam ser faladas. Palavras inéditas, hábitos, sensações estranhas e indescritíveis eram impostas pelo conhecimento presente no olhar frio, sábio e sedutor da sabedoria. Eu falava em uma linguagem absurdamente clara que não tinha sons nem sinais. Era um paradoxo elevado a um nível tão supremo que emitia luz própria e não era vista nem ouvida, era penetrantemente absorvida. Assim era naquele dia, nada houve se não aquilo que deveria ter exatamente sucedido.
Foto da internet


Depois daquele tempo houve outro tempo então e dessa vez vi coisas que não queria ter visto e vivi aquilo que ninguém jamais gostaria de viver. Eu acordei em meio a uma noite escura e fria, vi crianças dormindo embaixo de pontes e nas ruas, era triste e tenebroso. Eu vi outras crianças em outros lugares jogadas como coisas endurecidas e abandonadas secando até a morte. Desta vez eram crianças que não bebiam leite e nem comiam pão. Eram crianças da guerra, crianças de sangue e de dores. A vida lhes deu a morte de presente e ali estavam elas morrendo de viver. A noite não tinha fim ou fundamento e então fechei os olhos e adormeci lentamente, cansado e esperançoso sonhei com outras crianças com cabeças raspadas, infectadas e espetadas repletas de choro e de sofrimento por causa das doenças que carregavam. Eu ouvi crianças dando seus últimos suspiros de vida e sucumbiam no colo da morte com honra injustamente. Acordei bem cedo, abri as janelas de casa e olhei para o mundo lá fora. Não havia nada de mais, apenas o governo promovendo o nada e o nada promovendo o vazio nas almas das pessoas. De tarde eu vi pessoas velhas morrendo sozinhas nos leitos dos hospitais e nos asilos. Pessoas velhas que tanto já fizeram... Pessoas que fazem, mas fazem o quê? Eu não sei e nunca soube. Eu vi aquilo que não queria ter visto e não quis ver o que deveria ter sido visto.