Google+ Canal Brasília: Março 2010

26 de março de 2010

Economia verde pode salvar o planeta





NOVA YORK — O planeta esquenta, perde seus recursos naturais e - dizem alguns - está com os dias contados, mas inovações técnicas e a economia verde podem salvá-lo, garantiram especialistas reunidos nesta quinta-feira na Universidade de Columbia, em Nova York.
Reunidos em teleconferência através de monitores conectados de Mônaco, Cidade do México, Pequim, Londres, Nairóbi e Nova Délhi, vários especialistas apresentaram um panorama alarmante da pobreza global e da degradação ecológica.
Pediram aos Estados Unidos e a outros países ricos que demonstrem liderança, por exemplo, investindo em tecnologia de captação de carbono e outros métodos de longo prazo para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa.
No entanto, os países desenvolvidos, onde a poluição cresce rapidamente, também podem desempenhar um papel importante e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade de vida da população, tirando-a da pobreza, defendem.
"Desta forma, podemos alcançar a prosperidade, combatendo as mudanças climáticas - uma prosperidade que vai durar muito mais", defendeu o presidente mexicano, Felipe Calderón, que falou da Cidade do México via teleconferência.
Calderón contou que o México tem planos ambiciosos para reduzir as emissões de carbono, reflorestar e gerar um quarto da demanda energética com fontes renováveis até 2012.
"Estou mais convencido do que nunca de que os primeiros países a mudar ganharão vantagens competitivas consideráveis", disse o presidente mexicano.
Nitin Desai, do Energy and Resources Institute de Nova Délhi, afirmou que Índia e China, dois dos países com maiores índices de emissões de gases-estufa, são muito "pró-ativos" no desenvolvimento de tecnologias verdes.
Segundo Desai, que falou da capital indiana, as empresas começam a desenvolver um "enorme mercado" para a energia solar e outras fontes renováveis.
Os especialistas citaram inovações simples, como geradores de eletricidade à base de tração animal na Índia rural, ou a difusão em massa de telefones celulares na África como formas de se levar mais oportunidades para comunidades isoladas, ao mesmo tempo em que ajudam a tornar estas economias mais verdes.
Em maior escala, Achim Steiner, diretor-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), disse que a África deveria deixar de ser considerada uma "mina" pelos países ricos e, ao contrário, voltar seus recursos para indústrias sustentáveis.
"Agricultura, turismo, recursos naturais, silvicultura: estes são os motores da economia hoje. Portanto, vamos mudar ao invés de deixar que outros tirem de nós", disse Steiner, falando de Nairóbi, capital do Quênia.
"A economia verde também significa que não podemos continuar contaminando como estamos fazendo", acrescentou. "A metade dos leitos hospitalares do mundo está ocupada por gente doente por causa de água suja ou sem potabilidade", reforçou.
Glenn Denning, professor na Universidade Columbia, de Nova York, deu como exemplo o renascimento agrícola do Malauí como modelo de uma economia verde que ajuda a reduzir a pobreza e melhorar o nível de vida da população.
"O que vimos no Malauí é que quando se estimula a agricultura e se promove a produtividade agrícola, as pessoas começam a fazer suas economias", afirmou. "Uma das primeiras coisas que fazem é comprar um celular", acrescentou.
Segundo os especialistas, a alternativa a se transformar a economia mundial é mergulhar em uma crise climática ainda mais profunda.
Eles alertaram que a confiança pública nos cientistas que denunciam o aquecimento do planeta diminuiu no ano passado, quando os líderes mundiais fracassaram, na COP15, celebrada em dezembro em Copenhague, a formalizar um acordo sobre uma resposta comum às emissões de gases-estufa e os argumentos científicos que sustentam a tese da elevação da temperatura na Terra foram questionados.
"Enfrentamos uma crise de confiança, começando pela confiança na ciência", comentou Desai.
Mark Cane, professor de Ciências Climáticas da Universidade de Columbia, disse que tanto os governos quanto os cidadãos não estão dispostos a adotar medidas que evitem o que chamou de desastre iminente.
"Infelizmente, é preciso que haja algum tipo de crise ou de ameaça que sintam de forma realmente visceral", destacou o professor, que falou de Nova York.
"Não acho que nada aconteça até que a natureza comece a se manifestar, até que comecemos a ver os efeitos e que as pessoas comecem a se preocupar", emendou Wallace Broecker, professor de Ecologia na mesma universidade.
"Se o gelo do Ártico desaparecer em 20 anos, isto será um sinal muito forte de que as coisas estão mudando", exemplificou Broecker.

Crise política em Brasília

A Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) e mais 54 entidades representantes da sociedade civil vão realizar nesta quinta-feira um abraço simbólico na sede do Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília, em protesto contra a possibilidade de intervenção no governo da capital federal. O grupo vai entregar um documento assinado ao presidente do tribunal, ministro Gilmar Mendes.
Enquanto isso, o governador interino do DF, Wilson Lima (PR), anunciou nesta última quarta-feira que pretende ser candidato nas eleições indiretas que vão escolher o novo chefe do Executivo, com mandato-tampão até dezembro. Lima assumiu o cargo após a renúncia de Paulo Octávio, vice-governador que não conseguiu apoio parlamentar após a prisão de José Roberto Arruda.
Wilson Lima visitou pela primeira vez a Câmara Legislativa e se reuniu com os deputados distritais. Ele também anunciou um "pacote" para o funcionalismo público, com reajuste de 15% nos salários de 15 categorias.
Também na quarta-feira, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, informou que o governador cassado José Roberto Arruda pode deixar a cadeia em abril. Ele disse que pode solicitar a liberdade de Arruda após a Polícia Federal (PF) ouvir seu depoimento. Nos próximos dez dias, além do governador cassado, serão ouvidos o ex-vice-governador Paulo Octávio, o denunciante do Caso Mensalão do DEM, Durval Barbosa, e outras testemunhas e suspeitos de participação em um esquema de corrupção no governo de Brasília.

Fonte: www.sidneyrezende.com

24 de março de 2010

Projeto garante acesso à banda larga com preços acessíveis será votado ainda este mês

Ministro do Planejamento diz que governo deseja criar programa que garante acesso à internet banda larga com preços acessíveis. 

A mensalidade do serviço deverá custar entre 25 e 35 reais e no projeto está previsto o uso de fibra óptica da antiga Eletronet. 

O ministro afirma que nesse caso não poderá acontecer a venda casada, em que a operadora oferece a internet com o telefone fixo, porque isso aumentaria os custos para o consumidor. 

Paulo Bernardo também disse que estão sendo testados cabos de eletricidade pelas distribuidoras de energia elétrica para baratear o acesso à banda larga. 

Nos locais onde não há cabos de eletricidade ou de fibra ótica poderão ser usados sistemas de rádio ou acesso via satélite para navegar na internet. 

A audiência pública para tornar possível o Plano Nacional de Banda Larga foi marcada para o dia 30 de março, pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comissão e Informática da Câmara.

A mensalidade do serviço deverá custar entre 25 e 35 reais.

Fonte: www.regiaonoroeste.com

Economia de baixo consumo de carbono abre mais postos de trabalho

O grupo "Rede do Clima Global", uma organização composta por instituições científicas de nove países, divulgou ontem (23) em Londres o resultado de seu último estudo. Segundo o relatório, a economia de baixo consumo de carbono, exigida cada vez mais para combater a mudança climática, pode criar cerca de 20 milhões de postos de trabalho nestes 9 países.
O estudo foi concluído por cientistas de Grã-Bretanha, Estados Unidos, Índia, Alemanha, Brasil, Nigéria, Austrália, África do Sul e China. De acordo com o relatório, o desenvolvimento das novas energias e a construção da rede eletrôncia inteligente vai gerar mais 19,5 milhões de empregos nesses países até 2020.
O centro de pesquisa de desenvolvimento sustentável da Academia das Ciências Sociais da China integra a Rede do Clima Global. Segundo o diretor do centro, Pan Jiahua, a China preocupa-se muito com a economia de baixo carbono. A previsão é de que 6,79 milhões de postos de trabalho sejam criados no País com o desenvolvimento de energia solar, eólica e da água.

Rede wireless a laser vai acabar com fios em casas e escritórios

Rede wireless a laser vai acabar com fios em casas e escritórios
A residência sem fios do futuro poderá usar um sistema
de transmissão de dados baseado em um laser de altíssima
frequência graças a um novo chip que transforma esses sinais
ópticos em ondas de rádio.[Imagem: Michael Esposito]
Grande parte das residências e escritórios já conta com roteadores sem fio para distribuir os sinais de internet.

Logo, porém, um único aparelho poderá transmitir não apenas os dados dos computadores, mas também os sinais de telefonia, televisores de alta definição e rádio digital, aparelhos eletroeletrônicos - enfim, tudo o que for necessário para a chamada computação ubíqua, quando todos os dispositivos estarão interconectados em lares escritórios inteligentes.

Wireless de nova geração

A base dessa nova geração da tecnologia wireless foi lançada com o desenvolvimento de um dispositivo em miniatura capaz de converter pulsos de laser ultrarrápidos em sinais de radiofrequência - um passo essencial para tornar os fios algo verdadeiramente obsoleto nas comunicações.

"Certamente as ideias sobre os usos específicos da nossa tecnologia são futuristas e especulativos, mas nós vislumbramos uma única estação-base e tudo o mais sem fios," explica o Dr. Minghao Qi, da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos.

Ondas pulsantes

Normalmente, as ondas contínuas das transmissões convencionais de radiofrequência sofrem interferência e atenuação devido à reflexão nas paredes e nos objetos dentro de uma casa ou escritório.

A solução encontrada pelos pesquisadores foi substituir essas ondas contínuas por sinais pulsantes produzidos por um "gerador espectral" contido inteiramente dentro de um chip.

Cada pulso de laser dura cerca de 100 femtossegundos, ou um décimo de um trilionésimo de segundo. Dada a duração extremamente curta de cada pulso, o dispositivo torna-se capaz de transmitir dados extremamente rápidos, na chamada banda ultra larga.

Esses pulsos são processados usando uma tecnologia chamada "onda óptica arbitrária", podendo ser utilizada tanto para transmitir quanto para receber sinais.

"Mas inicialmente a indústria irá comercializar dispositivos que só recebem sinais, para um tráfego de mão única, útil para televisores, projetores, monitores e impressoras," afirma Qi.

"Isso acontece porque a unidade de transmissão dos dados ainda é um tanto volumosa. Posteriormente, quando a unidade de envio de dados também for miniaturizada, poderemos desfrutar plenamente dos dois sentidos no tráfego de informações, permitindo a operação sem fio até dos discos rígidos dentro dos computadores," diz ele.

Janela de frequência

Para fazer a transmissão, o aparelho cria pulsos de laser com "formatos" específicos para demarcar seu começo e seu fim. Os pulsos são então convertidos em sinais de rádio com uma frequência de 60 gigahertz, uma "janela" ainda aberta no cada vez mais congestionado espectro de frequências.

Os microprocessadores tradicionais não conseguem transmitir dados em frequências tão altas por causa da temporização irregular com que seus transistores "abrem e fecham" para processar as informações.

Essa irregularidade na sincronização dos transistores não impede o funcionamento dos processadores porque eles operam em velocidade de "apenas" cerca de 3 gigahertz, mas impede totalmente o processamento adequado de sinais a 60 GHz.
Rede wireless a laser vai acabar com fios em casas e escritórios
Diagrama dos microrressonadores em anel,
que fazem a conversão dos sinais ópticos em sinais
de rádio. Da espessura de um fio de cabelo, esse
dispositivo representa a miniaturização de uma mesa
inteira repleta de lasers, espelhos e lentes. [Imagem: Minghao Qi]

Outra complicação é que os conversores digital-analógico necessários para converter a luz pulsante do laser em sinais de frequência de rádio não funcionam em frequências tão altas. A solução para esse problema até agora ocupava uma mesa antivibração, com vários metros quadrados, repleta de espelhos, lentes e outros componentes ópticos.

Agora, os pesquisadores miniaturizaram esta tecnologia o bastante para que o aparato inteiro caiba dentro em um chip de computador.

"Nós encolhemos milhares de vezes o tamanho da gigantesca instalação óptica," disse Qi.

Microrressonadores em anel

Os pesquisadores fabricaram minúsculos microrressonadores em anel, dispositivos que filtram certas frequências e permitem que outras passem. Uma série de microanéis foi combinada em um gerador espectral programável com 100 micrômetros de largura - mais ou menos a espessura de um fio de cabelo humano. Cada um dos microanéis tem cerca de 10 micrômetros de diâmetro.

A estação base de transmissão vislumbrada pelos pesquisadores seria uma espécie placa de expansão, que poderia ser inserida no slot de um computador.

O computador se encarregaria de todo o processamento das informações, um único ponto de contato para interagir com o restante dos dispositivos presentes no ambiente.

Contudo, alertam os pesquisadores, ainda levará pelo menos cinco anos para que a tecnologia esteja pronta para comercialização.

Bibliografia:
Ultrabroad-bandwidth arbitrary radio-frequency waveform generation with a silicon photonic chip-based spectral shaper
Maroof H. Khan, Hao Shen, Yi Xuan, Lin Zhao, Shijun Xiao, Daniel E. Leaird, Andrew M. Weiner, Minghao Qi
Nature Photonics
February 2010
Vol.: 4, 117-122
DOI: 10.1038/nphoton.2009.266
Fonte: www.inovacaotecnologica.com.br

23 de março de 2010

Levitação magnética de células poderá criar órgãos artificiais

Os cientistas parecem decididos a fazer pelos laboratórios de biologia o que Avatar 3D fez pelo cinema



Cultura 3D chega aos laboratórios para criar órgãos artificiais
A localização e até a aglomeração das células
podem ser controladas variando a intensidade
e a posição do ímã que exerce a atração magnética
sobre as células, fazendo-as "levitar" no interior do
meio de cultura. [Imagem: Souza et al./Nature Nanotechnology]
Laboratório 3D

Entediados com as muito planas placas de Petri, e chefiados por uma cientista brasileira, pesquisadores da Universidade Rice, nos Estados Unidos, desenvolveram uma técnica para cultivar células em 3D, reproduzindo as condições naturais em que elas crescem nos organismos.


"Há um enorme esforço em andamento para descobrir formas de crescer células em 3-D porque o corpo é 3-D, e culturas que se pareçam mais com os tecidos naturais fornecerão melhores resultados nos testes pré-clínicos de novos medicamentos," explica Tom Killian, um dos autores da descoberta.

Levitação magnética

A técnica de cultura tridimensional é simples o bastante para ser utilizada imediatamente em qualquer laboratório.

Hoje, quando as células são postas sobre a placa de Petri - um pequeno pratinho de vidro - elas são naturalmente puxadas pela gravidade, formando o que os cientistas chamam de filme, uma membrana na qual as células, a grosso modo, ficam umas ao lado das outras.

Mas, no corpo, as células crescem não apenas para os lados, mas também para cima e para baixo, formando órgãos em três dimensões.

Para reproduzir essa condição, a equipe da brasileira Renata Pasqualini utilizou forças magnéticas para levitar as células previamente dispersas por um meio líquido de cultura. Desta forma, elas ficam livres para crescer e se dividir sem os constrangimentos da superfície 2D de uma placa de vidro.

Andaime invisível

Embora aponte para visões futurísticas, como a criação de órgãos artificiais em laboratório, a partir de células-tronco ou não, o novo "andaime invisível" criado por campos magnéticos oferece uma ferramenta imediata para o crescimento de células tumorais.

A reprodução de um tumor em laboratório é essencial para avaliar como um determinado câncer irá reagir às substâncias que estão sendo desenvolvidas para destruí-lo durante o processo de desenvolvimento de novos medicamentos.

Mas existem outras possibilidades de uso da técnica de levitação celular: "Um próximo passo natural para nós será usar essa propriedade magnética para explorar possíveis aplicações na área de imageamento e de tratamento de tumores in vivo," afirma Wadih Arap, coautor do estudo.

"Este é um passo rumo à construção de melhores modelos de órgãos em laboratório," complementa a Dra. Pasqualini, bióloga formada pela USP e atualmente coordenadora do laboratório onde foi desenvolvida a nova técnica.

Fazendo células levitarem

Para fazer as células levitarem, os pesquisadores modificaram geneticamente partículas virais chamadas fagos (phage) e as dispersaram em um gel com uma textura finamente ajustada, contendo nanopartículas de ferro.

Quando as células que se quer cultivar são adicionadas ao gel, os fagos fazem com que as células absorvam as nanopartículas de ferro em poucas horas.

O gel é então descartado e substituído por um líquido menos denso, no qual a divisão e o crescimento celular podem se dar em condições otimizadas.

Colocando um pequeno magneto acima do recipiente, não muito maior do que uma moeda, os pesquisadores verificaram que as células se desprendem da base do recipiente e passam a flutuar livremente no líquido.

A localização e até a aglomeração das células podem ser controladas variando a intensidade e a posição do ímã que exerce a atração magnética sobre as células, fazendo-as "levitar" no interior do meio de cultura.

Cultivo de tecidos em laboratório

Resultados iniciais com células de tumores cerebrais, chamadas glioblastomas, mostraram que as células que crescem no ambiente 3-D produzem proteínas que são similares às produzidas pelo glioblastoma presente em modelos animais vivos - quando as células são cultivadas em 2-D, no método tradicional, essas proteínas não se parecem com as proteínas produzidas em ambiente natural.

"A beleza deste método é que ele permite interações célula-célula naturais para guiar a formação de microtecidos em 3-D. O método é incrivelmente simples e deverá ser um bom ponto de partida para a cultura 3-D de tecidos em qualquer laboratório interessado no desenvolvimento de novos medicamentos, na biologia das células-tronco, na medicina regenerativa ou na biotecnologia," resume Robert Raphael, coautor da descoberta.

Tecidos 3D

Vários grupos de pesquisas ao redor do mundo têm alcançado êxitos rumo ao cultivo de tecidos em laboratório usando técnicas 3-D.

Cientistas de Cingapura criaram sua própria versão de um gel para cultura 3D e cultiva de células-tronco. Pesquisadores do MIT também usaram um gel e eletricidade para cultivar células em 3D.

Um grupo da Finlândia usou uma técnica diferente, criando órgãos por meio de impressão, semelhante à tecnologia das impressoras jato de tinta, uma abordagem semelhante à usada pelos seus colegas ingleses para criar pele e ossos camada por camada.


Bibliografia:
Three-dimensional tissue culture based on magnetic cell levitation
Glauco R. Souza, Jennifer R. Molina, Robert M. Raphael, Michael G. Ozawa, Daniel J. Stark, Carly S. Levin, Lawrence F. Bronk, Jeyarama S. Ananta, Jami Mandelin, Maria-Magdalena Georgescu, James A. Bankson, Juri G. Gelovani, T. C. Killian, Wadih Arap, Renata Pasqualini
Nature Nanotechnology
14 March 2010
Vol.: Published online before print
DOI: 10.1038/nnano.2010.23


Fonte: www.inovacaotecnologica.com.br

Entrevista com o Presidente da ABRP (Associação Brasileira de Relações Públicas)

Entrevista concedida a mim em 2008 por Antonio Carlos, Presidente da ABRP.

       - A entrevista visa esclarecer qual o campo de atuação do profissional de Relações Públicas.

                - Qual a importância de um Relações Públicas dentro de uma Empresa?
                É a que coloca a disposição do aluno uma série de ferramentas que possibilita desenvolver o trabalho de gestão de comunicação dentro de qualquer empresa.
                - Qual ramo visa mais o profissional?
                É relativo, pois as empresas querem resultados do profissional e se voltarmos para o mesmo, temos 3 grandes segmentos: Direito, Ambiental e a Área de Eventos.
                - Há muito interesse por parte das empresas no profissional de RP?
                Sim, mas muitas entidades não conhecem as reais atividades e funções do profissional.
                -Somente o curso é capaz de qualificar o profissional ou é necessário fazer alguma especialização?
                Nenhum profissional nasce pronto e nem um curso prepara o suficiente para sair para o mercado de trabalho, além do que nem toda instituição está preocupada com a formação do profissional, logo, o aluno tem que estar atento e buscar especializações, contudo é importante dizer que dependo muito do aluno, que deve perceber se a instituição realmente é capaz de proporcionar um bom curso e estar interessado pelo mesmo.
                - Em que a ABRP pode auxiliar o profissional recém-graduado e o graduando?
                Quando era realmente ativa conseguia chegar ao aluno e profissional de forma efetiva, pois a maioria dos integrantes tinha uma atividade que era indicar os profissionais para cada setor, contudo hoje é mais complicado devido à distância. Mas através de projetos e eventos, estamos tentando alcançar os alunos.
                - Qual setor mercadológico visa mais o profissional?
                Vários setores buscam o profissional, mas o terceiro setor vem se destacando em relação aos outros.
                - No mercado atual, qual a necessidade de um profissional de RP dentro da Empresa?
                Como o RP não tem um portfólio ou uma reportagem publicada no jornal, ele tem que mostrar o que realmente é capaz de fazer para aquela empresa, e isso ele vai identificar ao longo do curso. É importante conhecer bem a área a qual está entrando e a capacidade de oferecer seus conhecimentos dentro desta área.
                - Por que a profissão não é tão reconhecida como profissão e menos ainda como curso?
                Difícil, pois em cada tempo é uma situação diferente. Há dez anos, o melhor curso de RP de Brasília era o do IESB, hoje o curso está fechando. Cada faculdade direciona os cursos para as áreas de maiores interesses, como a sua faculdade está em uma área de ME’s a faculdade JK está investindo na profissão, por isso a faculdade está no caminho certo, sendo a pioneira.
                - O que o associado da ABRP pode esperar em relação a instituição?
                Criar a própria rede, disponibilidade de eventos e descontos diferenciados, além de experiência através de cursos oferecidos, cursos estes que são mais aproveitados por profissionais de outras áreas que de RP.
                - Quais os métodos e técnicas de planejamento utilizadas por um RP para ter condições de elaborar seu plano dentro da organização?
                Cada caso é um caso. Cada pessoa é diferente. As ferramentas que melhor se adéquam a cada problema, isso só será aprendido mais para frente quando aprender a matéria específica para planejamento, terá condições de identificar como fazer um planejamento para qualquer empresa.
                - Qual a filosofia de um RP?
                Código de ética deve ser seguido, você deve ser profissional e saber que está no mercado, que tem concorrência e deve estar preparado para enfrentar esta concorrência, logo o bom senso e a sua formação lhe levará a ser o melhor profissional.
                - Com a atual situação de mercado do país, o que o recém-graduado pode esperar?
                Em qualquer profissão e em RP não foge a regra você não pode viver na intenção de passar em um concurso público, isso aí vai ser um gargalo que encontra a poucos, segundo no governo você não tem a categoria Relações Públicas, você tem o pouco do governo que está trabalhando para criar a carreira, pois a fila é uma só e o gargalo é único, então passa quem estiver preparado, e não é fácil, por exemplo, no IBAMA eu não sou RP, sou Analista Ambiental então você deve saber que se passar em um concurso você deve onde trabalhar, na iniciativa privada que busca resultados, quanto mais preparado você estiver melhor será para você, nem sempre a instituição privada quer um RP então ela quer um cidadão e este tem que estar preparado, terceiro ponto, você não pode se deixar pender nem para um lado nem para outro, ao invés de ficar esperando a situação melhorar muitas pessoas abrem seu próprio negócio e vai cuidar dele. Não adianta você chegar para uma empresa que busca um profissional e dizer “Sou RP”, você tem que mostrar o que é capaz de fazer e são estas coisas que você tem que estar atento, a sua capacidade de trabalho o seu conhecimento para solucionar a demanda de sua empresa ou do que a empresa cobra de você!

** Leandro Lisbôa.

22 de março de 2010

A Natureza do Escândalo Político!

A visão de Leandro Lisbôa sobre o tema baseado no livro "O escândalo Político".
Autor: Leandro Lisbôa.

Com maior foco na década de 1960 por conta dos principais casos da época, momento em que a preocupação com a vida política ficou mais evidente com os casos de maior expansão, Watergate nos EUA e o PROFUMO na Inglaterra.
De acordo com os cientistas políticos Markovits e Silverstein, escândalo político é aquele que envolve o âmbito político de forma direta e não somente pelo fato de ser com uma pessoa do meio político. De forma que o político pode estar envolvido em um escândalo, desde que não comprometa a integridade do Estado, ou utilize sua verba, não seria considerado escândalo político e sim escândalo envolvendo um político, escândalo no meio político.
Ainda segundo os cientistas, o escândalo político é aquele que acontece na interseção da esfera privada com a esfera pública, tendo assim o seu estouro. Esta é a razão, em síntese, por que os escândalos políticos só podem ter lugar nas democracias liberais.
Poder simbólico é a capacidade de intervir no curso dos acontecimentos, ou seja, influenciar as ações e crenças de outros e criar acontecimentos através da produção e transmissão de formas simbólicas, basicamente, poder simbólico é o mesmo que carisma ou capital cultural.
Atualmente os escândalos políticos têm mais visibilidade e maior predominância por conta das novas mídias. É muito mais fácil tomar conhecimento de qualquer escândalo que acontece devido a velocidade das informações e a proporção que elas ganham perante a mídia.

20 de março de 2010

Monte em casa a sua própria academia






Como devem ser a parede, o piso e os equipamentos de uma estação de treino particular










Tem uma hora que cansa mesmo ir à academia. O mesmo espelho, as músicas iguais, a catraca, tudo irrita. Você até gosta de praticar exercícios físicos, sente falta quando não malha. Mas enjoou o ambiente. Nem pense que está só: existe muita gente no mesmo time e que resolver acabar com o problema. Como? Montando em casa um espaço fitness personalizado. Até porque é preciso pensar em alternativas ao parque ou à ciclovia nos dias mais frios, quentes demais ou chuvosos. Mas, considerando que você já sabe treinar sozinho e tem experiência suficiente para evitar lesões causadas por exageros ou por exercícios mal feitos, é importante prestar atenção numa série de detalhes na hora de montar o espaço. São pormenores que incluem da parede ao piso, passando pelos equipamentos.
Só lembre-se de que, para todo esse esforço ter resultado, uma característica é necessária: disciplina. Afinal, não vai ter mais professor nenhum dar aquele empurrãozinho (muitas vezes indispensável) para vencer a preguiça. Está convencido? Então prepare-se para acompanhar a nossa check-list.
Escolha do local Segundo Fausto Arantes Porto, treinador e pós-graduado em Fisiologia do Exercício, o espaço para o exercícios precisa ser bem arejado e ter uma ótima iluminação, seja natural ou artificial. Como durante o exercício forçamos mais nossa capacidade respiratória, acabamos trocando e absorvendo mais ar, ou seja, treinar num lugar poluído significa infestar o pulmão de ácaros e outras impurezas . (atente para a importância da avaliação física)
Piso esqueça o carpete ou forração de carpete, que podem pegar cheiro (não esqueça que você vai suar bastante ali) e ficar impregnados de ácaros. Prefira os emborrachados que são fáceis de limpar, não deixem que seu pé derrapar e amortecem o impacto do exercício , sugere Fausto.
Paredes opte por uma cor clara, que não canse a vista. Colocar espelhos e suportes para os equipamentos como pesinhos, caneleiras, TV com DVD para pedalar ou andar na esteira também são cuidados importantes.
Limpeza deve ser feita diariamente, mesmo que você só se exercite três vezes por semana. Também evite faxinar os equipamentos com produtos que deixem cheiro muito forte, o que pode provocar alergias e até intoxicações.

Os equipamentos

O importante é escolher equipamentos de qualidade e, de preferência, contar com um personal para criar as planilhas de exercícios e monitorar o desenvolvimento de quem treina, diz Paulo Castilho, consultor da ACAD (Associação Brasileira de Academias). Faça uma pesquisa antes, procurando saber a garantia, assistência técnica, preço e qualidade de cada marca no mercado de fitness. A mensalidade de um professor particular pode até sair mais barata do que o plano da academia.
E, se você malha, não se acanhe em pedir dicas a algum instrutor. Ele com certeza tem soluções para aqueles probleminhas que aparecem do nada. De toda forma, existem regras simples que podem ajudar nas primeiras compras: se você procura controlar o peso, procure aparelhos de ergometria como bicicletas e esteiras. Para definir os músculos e combater a flacidez, prefira os equipamentos aglomerados, que permitem trabalhar vários grupos musculares , ensina Paulo.
A seguir, ele faz uma lista de acessórios necessários para exercitar os principais grupos musculares e ainda desenvolver o condicionamento físico. Nem é tanta coisa! (Opinião minha: Eu acho caro e acho muita coisa sim, mas é a saúde em jogo não é, então...).

Para trabalho aeróbico:

Esteira mecânica: opção mais em conta e até mais segura, pois a cinta pára assim que você cessa o movimento. Exige mais força de quem treina. Preço: cerca de R$ 500.
Esteiras elétricas: mais modernas e mais caras, oferecem várias opções de exercícios e muitas vêm com treinos já programados. Preço: entre R$ 800 e R$ 2 mil.
Bicicleta ergométrica: aqui o importante é o conforto. Não tenha vergonha de testar o produto antes de comprá-lo, de preferência por cerca de 7 a 10 minutos, tempo suficiente para que qualquer problema de ajuste, altura ou desconforto seja identificado. Há uma grande variação de preços pois existem dezenas de modelos diferentes, desde a tradicional vertical até as inclinadas, com encosto de apoio às especializadas como as de spinning. Preço: entre R$ 300 e R$ 1.500.

        Step e Stepper os steps aeróbicos, que são plataformas de ginástica e custam cerca de R$ 100, são para exercícios de sobe-e-desce. Já o Stepper é um equipamento que ajuda na ginástica localizada, trabalhando glúteos e pernas, e custa cerca de R$ 500.
Remo seco trabalha bastante a capacidade cardiovascular e os músculos das costas, peitorais e braços,além de ajudar a definir o abdome. Preço: cerca de R$ 400.
A maior parte dos equipamentos vem com monitores que medem velocidade, calorias queimadas, batimentos cardíacos, tempo e distância.

Trabalho anaeróbico ou localizado

Equipamentos aglomerados aqui entram os equipamentos de musculação em geral e que juntam várias funções, trabalhando os principais grupos musculares. Custam cerca de R$ 1.000 cada e costumam ocupar bastante espaço. É importante checar a garantia, qualidade da estrutura e bancos, além das possibilidades de ajustes.
Aparelhos abdominais pranchas, aparelhos em forma de arco e com encosto de cabeça. Dependendo da opção podem ir de R$ 100 a R$ 500. É importante que tenham regulagem para seu tamanho e que não forcem a lombar ou cervical teste antes de comprar!
Banco de supino e barras permite fazer vários exercícios localizados, fortalecendo musculatura dos braços, pernas e peito. É essencial que tenha regulagem de altura. Sai por cerca de R$ 400.

Acessórios

        Extensores muito versáteis, podem ser utilizados para trabalhar braços, pernas, costas, peitorais e bumbum e saem por cerca de R$ 50.
Colchonetes entre R$ 15 e R$ 50, depende bastante da espessura. Os de 3mm ou 5mm não são para a prática de yoga, e não de exercícios tradicionais caneleiras e tornozeleiras cerca de R$ 20.
Pesinhos importantes para trabalhar os braços e auxiliares no trabalho de pernas e abdômen, custam entre R$ 20 e R$ 100. A variação de preço é devido ao peso, quanto mais pesado mais caro. Opte pelos revestidos em PVC, mais fáceis de limpar e conservar.

Dicas para comprar seus equipamentos

Poder malhar na hora que você quiser, não ter que esperar para usar um aparelho e manter a privacidade durante o treino têm levado muita gente a montar uma academia em casa. Contudo, utilizar aparelhos de ginástica domésticos não é algo recomendado para o usuário iniciante ou inexperiente, pois os riscos de realizar o exercício de forma incorreta, com a quantidade de pesos errada ou número de repetições excessivo ou insuficiente, são muitos. Mas, se este não é o seu caso, confira alguns cuidados na hora da compra e não se esqueça de fazer uma avaliação física regularmente. Ela é sua garantia de que seu corpo mantém-se imune a qualquer lesão mais grave, além de medir os resultados do seu esforço.

1) Se tiver filhos pequenos, cuidado com os pesos e equipamentos. Certifique-se de que as crianças não terão acesso aos acessórios e aparelhos, escolhendo, por exemplo, um cômodo que possa ficar trancado quando não houver supervisão.

2) Se puder dispor de um quarto para montar o espaço de exercícios, pense em adicionar uma TV com DVD e coloque vídeos motivacionais durante os treinos.

3) Ao comprar aparelhos, prefira os de aço de bitola 11 ou 12, com mais juntas soldadas ao invés de unidas por parafusos e tubulação maior.

4) Cheque sempre o prazo de garantia de cada equipamento a média para as almofadas e estofamentos é de 3 anos.

Fonte: www.minhavida.com.br

Juventude violenta

Monólogo de um jovem que está cansado com a violência em Brasília
Autor: Ronaldo Camelo (www.ronaldocamelo.blogspot.com)

Meu nome é Abimael da costa, sou presidente do conselho da juventude.
Caramba meu! Não se pode mais andar nessa cidade sem que você seja roubado, assaltado, ameaçado...
Até quando vamos ter que ficar sendo explorados por essa bandidagem violenta?
Outro dia eu estava chegando  em casa e de repente me apareceu um carinha, na verdade um "mala", é um "mala", ele estava curtindo um “Rapzinho” num MP3, que com certeza era roubado... Aí eu estava caminhando e ele veio na minha frente e começou a cantar o seu “Rapzinho”.
- “Eu queria mudar, eu queria mudar".
Dai eu já estava assustado, mas continuei caminhando ai o carinha veio pra cima de mim e deu um grito, -"Eu queria mudar"... Foi quando ele me abordou e perguntou:
E essa jaqueta ai?
Eu disse: - É minha!, E ele anunciou o assalto!
- Passa ela!
Tirei a Jaqueta numa velocidade descomunal, eu já ia entregando para ele, quando ele me falou para eu jogá-la no chão, não deu outra, fiz o que ele pediu morrendo de medo de levar uns "Pipocos" na cara!
Quando eu pensei que já tinha acabado o maldito assalto, o cara ficou me analisando de cima a baixo e logo depois me perguntou:
- Você esta vindo de onde?, Eu disse:
- Da “Facul”!
Pediu para que eu levantasse minha calça boca de sino para dar uma olhada no meu "pisante", ficou olhando uns 5 minutos no final disse que o meu tênis era feio demais pra ele levar, pois ia dar prejuízo para os movimentos... Tem condições?
O cara estava me assaltando e ainda por cima estava sendo exigente, como um consumidor na hora de adquirir um produto. Vê se pode isso... Mais eu vou te falar, me deu uma vontade de falar pra ele assim:
- Agora que você olhou vai ter que levar!
É muita sacanagem viu, faça-me um favor!
“Tô” puto com essa violência se controle.

19 de março de 2010

Estes exercícios torram calorias na velocidade da luz

Emagrecer em tempo recorde fica fácil com a série certa

        Ao procurar a fórmula mágica para emagrecer, você depara com a dobradinha clássica: dieta balanceada e atividade física, os responsáveis pela perda de peso saudável. O que pouca gente conhece, no entanto, é a combinação de exercícios certos para alcançar a meta mais depressa. 
Quem conta o segredo é Eder Rosendo, professor e coordenador da unidade Tamboré da academia Bio Ritmo. O primeiro engano de quem se exercita com o objetivo de emagrecer é achar que quanto mais exercício fizer, melhor para a perda de peso. Muito pelo contrário, é importante evitar o excesso de atividades físicas para não fadigar os músculos. Ele garante que praticar exercícios três vezes por semana é suficiente para notar resultados em um mês.
Eder ressalta que o tempo para perceber as primeiras mudanças pode ser bastante variável, mas se o programa de exercícios estiver dividido em três modalidades, os resultados são certeiros. As três atividades fundamentais para que os resultados sejam satisfatórios são musculação ou exercícios localizados, exercícios aeróbios e aulas de alongamento, afirma.
Segundo o professor da Bio Ritmo, a musculação e os exercícios localizados representam a atividade resistida, aquela em que os músculos são trabalhados individualmente, por repetidas vezes. Já as atividades aeróbias, representadas pela esteira, bicicleta e aparelhos elípticos, entram em cena para fortalecer o sistema cardiovascular. Em outras palavras, é com esse tipo de treino que você começa a ganhar fôlego e melhorar o condicionamento físico. Paralelamente aos dois treinos, as aulas de alongamento são as responsáveis pelo desenvolvimento de uma musculatura forte e devidamente alongada. 

Poupe energia, evitando exercícios errados

É comum vermos pessoas suando a camisa nas aulas de abdominal, em busca do famoso tanquinho. Mas não adianta fazer um monte de aulas da mesma modalidade. A quantidade de aulas é pouco eficaz, se não vier acompanhada de exercícios aeróbios e alongamento, exemplifica Eder.
Além da combinação dos três tipos de exercícios, o profissional da Bio Ritmo conta que a seqüência com que eles são realizados influencia no emagrecimento. Intercalar as atividades aeróbias com as séries de alongamento e musculação é, sem dúvida, a maneira mais rápida de emagrecer, afirma. 
Na prática, a recomendação de Eder se resume em um aquecimento de 10 a 15 minutos em um aparelho de exercício aeróbio, alguns minutinhos de alongamento, séries de musculação e desfecho com, pelo menos, mais 30 minutos de atividade aeróbica. Aquecer-se com um tipo de atividade aeróbia, alongar o corpo, seguir as séries de musculação e, por fim, praticar mais um pouco de exercício aeróbio acelera o emagrecimento porque, durante a musculação, o corpo queima glicogênio para obter energia. Quando você parte para a atividade aeróbia, vai passar a queimar a reserva de energia que tem. Ou seja, as células de gordura.

Invista na queima de calorias 

Os exercícios aeróbios podem ser realizados em aparelhos como bicicleta, esteira e elípticos. Mas se você quiser apostar na alta queima calórica, não deixe estes últimos fora do seu treino. A professora da Competition, Ana Paula Gomes, explica que os exercícios realizados em aparelhos como o transport são bastante intensos e geram uma grande irrigação muscular, devido ao movimento contínuo e cíclico que o praticante realiza.
Todo esse esforço faz com que a freqüência cardíaca aumente, fator determinante na queima de calorias, completa. 
Apesar dos elípticos se destacarem, Ana Paula garante que a diminuição do percentual de gordura pode ser notada com a prática de qualquer um dos aparelhos aeróbios. Se os exercícios forem realizados na freqüência cardíaca correta, os resultados aparecem , afirma. 
Para isso, os batimentos cardíacos durante a realização dos exercícios devem representar de 65 a 75% da freqüência cardíaca máxima. Subtraia a sua idade de 220 e obtenha o valor equivalente à sua freqüência cardíaca máxima. A partir dele, é só fazer o cálculo de quanto representa 65 a 75% e manter os batimentos dentro desta faixa, durante a prática da atividade, ensina.
O gasto calórico é bem variável, já que depende de características como idade, peso, altura e nível de aptidão física. De acordo com a professora da Competition, uma pessoa de 60 kg perde, em média, 160 calorias ao caminhar na esteira por meia hora e 270 calorias, se correr pelos mesmos minutos. Já se o aparelho aeróbio escolhido for a bicicleta, a queima em 30 minutos é de 200 calorias, enquanto o praticante que se exercitar no aparelho elíptico perde 330 calorias.


Fonte: www.minhavida.com.br